Por outras palavras

Marrocos

Marrocos noutras palavras que não as minhas. Foi esta a proposta, é este o post que dela resulta. O desafio foi lançado à Catarina Leonardo, que assina o blogue Viajar pela História. A Catarina escolheu uma praça que eu também adoro e sobre a qual também já escrevi. Tal como ela, tenho vontade de lá regressar, de beber uma laranja ao entardecer, de ouvir o burburinho que, num crescendo estonteante, vai dominando a praça. Mas depois é a atmosfera da praça que nos domina…

Obrigada, Catarina, por este belo texto escrito especialmente para esta cartografia! E que boa maneira de começar um novo ano aqui no blogue!

A mágica praça Jemaa el-Fna

f1_cl

A Praça Jemaa el-Fna é um dos lugares mais fascinantes onde já estive.

É o coração da medina da bela cidade de Marraquexe e uma das praças mais famosas de África. A praça foi considerada Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO no ano de 2008.

Um escritor de que eu tanto gosto disse uma vez que em “cada uma das portas das entradas da cidade” deveria estar escrito “Marraquexe: vive devagar e parte depressa”. “Porque Marraquexe é uma emboscada”.

Eu apaixonei-me por esta cidade desde a primeira vez que a vi. E desde então tenho voltado algumas vezes e o sentimento tem crescido… Concordo que seja uma verdadeira emboscada. De certa forma nunca mais se sai de lá. Eu não saí.

Muitas vezes na varanda da minha casa me lembro dos pátios magníficos que vi por lá. Trouxe lanternas de uma das vezes. Para matar um pouco a saudade daquela magia acendo uma delas e sonho acordada com aquele burburinho de pessoas a passar e da chamada à oração.

O local mais mágico da cidade é a praça Jemaa el-Fna. E tanta coisa se passa por lá ao mesmo tempo , que é até difícil de descrever. É o coração da medina, da zona antiga da cidade. É aqui o coração e a alma de Marraquexe.

Por aqui todos passam, a caminho de casa ou de uma específica zona de comércio, para vender e/ou comprar alguma coisa. Existem várias ruas que partem da praça e por onde podemos encontrar comércio de joalharia, artigos de pele, vestuário, tapetes, instrumentos de corda, artigos de bronze ou  de cobre.

De manhã cedo reina a calma. No chão existem apenas vestígios do que se viveu na noite anterior. Gradualmente vão-se começando a vender sumos de laranja, dos mais doces que já bebi e tâmaras, deliciosas tâmaras, de cores diferentes.

Encontram-se também aqui os aguadeiros nas suas vestes tradicionais. De vez em quando lá servem um copo de água a algum dos marroquinos.

O dia vai passando e o frenesim das pessoas vai aumentando, até ao verdadeiro clímax, que acontece na altura do pôr-do-sol. A quantidade e a velocidade das pessoas que circulam a pé, de burro ou de carro de mão vai-se intensificando chegando a um ritmo absolutamente inacreditável.

f2_cl

Nesta altura veem-se chegar gradualmente bancas de comida. Elas alinham-se numa maravilhosa dança que se repete uma e outra vez a cada dia. Jantar aqui é absolutamente obrigatório. É estar em Marrocos entre os marroquinos, viver como eles, observar de perto os seus hábitos culturais e sociais.Todas as bancas estão numeradas e os respetivos donos aliciam os turistas que passam para que jantem na sua. A melhor forma é entrar neste jogo e deixar-se levar… sente-se numa delas e peça as magníficas azeitonas tão bem temperadas, uma tagine super bem condimentada e as famosas bruschettas de carne super deliciosas.

Nas ruas que saem da praça há imensos restaurantes mais ou menos elegantes, que também se poderá experimentar, mas comer na praça Jemaa el-Fna é o melhor.

Mas na praça existem muito mais do que bancas de comida a deitar fumo pela noite dentro. Há homens e mulheres que vendem todos os artigos imaginários numa manta no chão, há mulheres que leem a sina, há encantadores de serpentes.Há quem cante, quem dance, quem conte histórias e quem traga jogos. E a multidão forma círculos à sua volta que ao longo da noite se vão tornando maiores.

Já passei algumas horas na praça a espreitar cada atração e a participar em algumas delas. Já assisti também a todo este magnífico espetáculo num dos cafés de que mais gosto. O café de Paris que tem uma vista privilegiada no 2.º andar para toda a praça.

f3_cl

É verdadeiramente fascinante ver toda esta azáfama que acontece a cada noite e que nunca é igual. A mesquita Koutubia está lá adiante a ver-nos a nós e a tudo isto.

Outros como nós terão a sorte de viver e assistir à magia que existe na praça Jemma el-Fna. Espero que sim. E que, como eu, nunca queiram sair desta verdadeira emboscada.

Até breve, Marrakesh.

 

Texto e fotos de Catarina Leonardo, autora do blogue Viajar pela História.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s